Apesar de não gostar, os leitores mais velhos se esforçam menos quando usam leitores eletrônicos, descobriram pesquisadores

Anonim

Ler textos em dispositivos digitais como tablets exige menos esforço de adultos do que ler em papel, segundo pesquisa publicada em 6 de fevereiro no jornal de acesso aberto PLOS ONE, de Matthias Schlesewsky e colegas da Universidade Johannes Gutenberg, em Mainz, Alemanha. Georg August University Göttingen e a Universidade de Marburg, Alemanha.

No passado, pesquisas mostraram que as pessoas preferem ler livros em papel em vez de leitores eletrônicos ou tablets. Aqui, os autores avaliaram as origens dessa preferência em termos do esforço neural necessário para processar informações lidas nesses três meios diferentes. Eles descobriram que, quando perguntados, tanto os jovens como os adultos mais velhos declararam uma forte preferência pelos livros em papel, mas quando compararam os movimentos dos olhos e as medidas de atividade cerebral, os adultos mais velhos se saíram melhor com leitores digitais retroiluminados, como tablets.

Os autores mediram dois parâmetros nos leitores: o tempo necessário para a fixação visual e as medidas de atividade cerebral do EEG com os diferentes dispositivos de leitura para identificar a quantidade de processamento cognitivo necessário para cada dispositivo.

Os pesquisadores descobriram que os leitores mais jovens entre as idades de 21 e 34 anos mostraram movimentos oculares similares e medidas de EEG da atividade cerebral nos três aparelhos de leitura. Os idosos com idades entre 60 e 77 anos gastaram menos tempo fixando o texto e mostraram menor atividade cerebral quando usavam um computador tablet, em comparação aos outros meios. O estudo conclui que esse efeito é provavelmente devido a uma melhor discriminação de texto nos displays retroiluminados. Nenhum dos participantes do estudo teve dificuldade em compreender o que leram em qualquer um dos dispositivos, mas com base nas medidas fisiológicas avaliadas, os pesquisadores sugerem que leitores mais velhos podem se beneficiar do contraste aprimorado em dispositivos de leitura eletrônica.