Exposição à poluição do ar durante a gravidez não parece aumentar os sintomas de TDAH

Exposição à poluição do ar durante a gravidez não parece aumentar os sintomas de TDAH

Why I changed my mind about nuclear power | Michael Shellenberger | TEDxBerlin (Pode 2019).

Anonim

A exposição à poluição do ar durante a gravidez pode não estar associada a um risco aumentado de sintomas de déficit de atenção e hiperatividade em crianças de 3 a 10 anos. Esta foi a conclusão de um novo estudo liderado pelo Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal), um centro apoiado pela Fundação Bancária "la Caixa". O estudo incluiu dados sobre quase 30.000 crianças de sete países europeus.

Com uma prevalência mundial de 5%, o TDAH é o transtorno comportamental mais comum na infância. O TDAH é caracterizado por um padrão de desatenção, hiperatividade e / ou impulsividade que é atípico para a idade da criança. Esses sintomas podem interferir no desenvolvimento e estar associados a problemas acadêmicos em crianças em idade escolar, bem como a um aumento do risco de problemas com dependência ou comportamentos de risco.

Estudos recentes concluíram que a exposição pré-natal à poluição do ar pode afetar o desenvolvimento do cérebro em crianças, mas a evidência sobre os efeitos da poluição do ar nos sintomas de TDAH é limitada.

O novo estudo, publicado na revista Epidemiology, faz parte do Estudo Europeu de Coortes para os Efeitos da Poluição do Ar (ESCAPE). Incluiu 30.000 crianças entre 3 e 10 anos de idade de oito coortes de nascimentos na Alemanha, Dinamarca, França, Itália, Holanda, Suécia e Espanha (esta última consistindo de quatro sub-coortes do projeto INMA em Guipúscoa, Granada, Sabadell e Valência). O estudo estimou a exposição a óxidos de nitrogênio (NOx) e material particulado (PM10 e PM2.5) durante toda a gravidez no endereço domiciliar de cada participante. Sintomas de TDAH foram avaliados usando vários questionários preenchidos pelos pais e / ou professores.

Joan Forns, principal autor do estudo, disse: "Nossos resultados mostram que não há associação entre a exposição à poluição do ar durante a gravidez e o aumento do risco de sintomas de TDAH".

"Dadas as conclusões deste estudo e os resultados inconsistentes de estudos anteriores, hipotetizamos que a exposição à poluição do ar pode não aumentar o risco de TDAH em crianças na população em geral", explicou a pesquisadora do ISGlobal Mònica Guxens, que coordenou o estudo. "No entanto, acreditamos que a exposição à poluição do ar poderia ter efeitos prejudiciais no desenvolvimento neuropsicológico, especialmente em crianças geneticamente suscetíveis".

Tem sido demonstrado que o TDAH é o resultado de interações complexas entre antecedentes genéticos (herdabilidade é de aproximadamente 75%), fatores ambientais e determinantes sociais. "Continuaremos a estudar o papel da poluição do ar para descartar sua associação com o TDAH na infância e melhorar nossa compreensão sobre o que causa esse distúrbio", disse Guxens.