EUA a tolerar maconha recreativa em dois estados

EUA a tolerar maconha recreativa em dois estados

Anonim

O governo do presidente Barack Obama cedeu terreno na quinta-feira na guerra dos EUA contra as drogas, dizendo que não disputará a legalização da maconha recreativa no Colorado e no estado de Washington.

Sua decisão foi rapidamente saudada por ativistas pela legalização de uma substância que, sob a lei federal, continua sendo uma substância controlada da Schedule One em igualdade com a heroína.

Em um comunicado, o Departamento de Justiça disse que espera que o Colorado e Washington mantenham "esquemas regulatórios rígidos" para garantir que a maconha não beneficie gangues criminosas ou caia nas mãos de menores.

"Esses esquemas devem ser duros na prática, não apenas no papel", afirmou.

Dito isso, o Departamento de Justiça acrescentou que disse aos governadores do Colorado e de Washington que está "adiando seu direito de contestar suas leis de legalização neste momento".

Eleitores do Colorado e Washington aprovaram a legalização da maconha em referendos em novembro passado, coincidindo com a eleição presidencial que manteve Obama na Casa Branca para um segundo mandato.

Vários outros estados aprovaram a produção e venda de maconha para uso medicinal e descriminalizaram a posse de pequenas quantidades para uso pessoal.

"O anúncio de hoje é um passo importante e histórico para acabar com a proibição da maconha", disse Dan Riffle, do Marijuana Policy Project, uma organização de política de maconha.

Ele chamou a decisão de "um sinal claro (da capital da nação) de que os estados são livres para determinar suas próprias políticas em relação à maconha".

Agora cabia ao Congresso "consertar as leis de maconha quebradas de nossa nação", acrescentou Riffle.

A Associação Nacional da Indústria de Cannabis expressou confiança de que os negócios relacionados à maconha no Colorado e em Washington cumprirão quaisquer exigências federais.

"Estamos satisfeitos em ver que o governo Obama não causará danos aos cidadãos e aos estados, fechando esses negócios", disse o comunicado.

A Procuradoria dos EUA no Colorado, elaborando sobre o anúncio do Departamento de Justiça, disse que ainda iria atrás daqueles que vendem maconha a crianças, cultivam em terras federais ou enviam através de linhas estaduais ou federais.

Também visaria qualquer tráfico de maconha que fosse conduzido ou financiado por gangues de rua e cartéis.

No começo do ano, pela primeira vez, a maioria dos entrevistados da pesquisa do Centro de Pesquisas Pew, 52 por cento, disse que o uso de maconha deveria ser legalizado.

Quarenta e oito por cento disseram ter consumido maconha em algum momento de suas vidas, e 12 por cento disseram que o fizeram no ano anterior à pesquisa.